Puberdade e adolescência

uso recreativo de drogas Puberdade e adolescência

Os amigos adquirem importância especial nesta fase

O início da adolescência é a puberdade, caracterizada por mudanças físicas como a primeira menstruação, as mudanças de voz e o aparecimento dos primeiros pelos axilares e pubianos. A idade em que esses sinais surgem pode variar bastante e costuma ser mais precoce nas meninas.

O adolescente é um ser preocupado com o mundo em que habita, e com seu papel na sociedade e pode se mostrar inconformado ou revoltado com as injustiças. Tende a ser dramático, a falar alto e ser exagerado, especialmente quando em grupo.

Os amigos começam a ter um papel cada vez mais importante na vida do adolescente. Ele começa a se perguntar do que gosta, quem é e quem deseja ser no futuro. É comum que tente se diferenciar dos pais, ao mesmo tempo em que procura ficar parecido com os amigos do grupo (nas roupas, penteados, etc).

seducao casal Puberdade e adolescência

Nesta fase, o interesse amoroso e sexual começa a surgir. Problemas comuns nesta época são: mudanças bruscas de humor, recusa em ir à escola, desobediência e mentiras frequentes, dificuldades de relacionamento com seus pares, uso de drogas e álcool e envolvimento em brigas.

Nesta época, intensifique o diálogo! Mantenha as conversas sobre os riscos das drogas e do sexo desprotegido, sempre.

Respeite a privacidade do seu filho, batendo na porta antes de entrar no seu quarto, por exemplo.

Procure conhecer seus amigos e ter uma lista dos telefones deles, explique ao seu filho a importância de você sempre saber onde ele realmente está.

Aceite que o humor dele pode variar: mostre respeito e compreensão quando, dentro dos limites normais, ele preferir ficar sozinho no seu quarto ou não demonstrar mais tanta vontade de participar de programas familiares que antes o empolgavam.

Dê espaço para que ele desenvolva sua individualidade: saiba ouvi-lo, mesmo quando as opiniões não forem iguais às suas. Mas… não aceite gritos, xingamentos ou ofensas físicas e verbais.

Gradualmente,  mostre ao seu filho que ele é, cada vez mais, responsável pelos seus próprios atos e terá que arcar com as consequências das suas escolhas.

 

Desenvolvido por WebProfissional