Estupro, agressão e drogas

auto estima cancer de mama rio de janeiro rj Estupro, agressão e drogas

O risco de sofrer agressão física por parte do parceiro e de ser vítima de estupro é maior quando a mulher é usuária de drogas psicoativas. Pelo menos é o que sugerem estudos que entrevistam estas mulheres e comparam suas respostas com as de não usuárias.

Na população geral americana, uma em cada 4 mulheres informa já ter sido fisicamente agredida pelo companheiro. Mas, se este número parece alto, entre as usuárias de drogas, ele sobe para até 88%!   Com relação ao estupro, 18% das entrevistadas que não consomem drogas disseram ter sido estupradas pelo menos uma vez na vida – contra 54 a 60% das usuárias.

O crack é só uma das drogas que coloca a mulher sob alto risco de violência física e sexual. Pesquisadores da Universidade de Kentucky* entrevistaram 149 usuárias de crack e encontraram dados alarmantes: 94% delas já foi vítima de violência e 84% foi agredida pelo próprio parceiro ao menos uma vez.  

Esta questão é muito preocupante porque o uso de drogas coloca a pessoa sob maior risco de problemas psiquiátricos, mas a violência física e sexual também. Vítimas de violência também podem estar sob maior risco de abusar de álcool e drogas. Assim, a violência põe a mulher sob maior risco de usar drogas e o uso de drogas aumenta a chance dela ser vítima de agressões – criando um círculo vicioso difícil de ser rompido.

Se a violência sozinha já é prejudicial para a saúde mental, e o uso de drogas psicoativas também costuma ser – imaginem os dois fatores de risco somados. Mais uma razão para prevenir o uso de drogas e proteger as mulheres da violência!

 (*Cumulative Victimization, Psychological Distress, and High-Risk Behavior Among Substance-Involved Women – Seana Golder; TK Logan. Violence and Victims, Volume 26, Number 4, 2011)

Artigos Relacionados:

Juliana Garbayo

facebooktwitterlinkedin

Graduada em Medicina na Universidade Federal Fluminense (UFF). Cursou Residência Médica em Psiquiatria na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ-IPUB)


Postado em por Juliana Garbayo em Dicas

Adicione um comentário

Se você deseja ajuda, por favor entre em contato conosco, consultório de Psiquiatria RJ:

Dra. Juliana Garbayo Psiquiatra RJ - Telefone: (21) 99780-4339 Copacabana - Rio de Janeiro
Desenvolvido por WebProfissional