crianca bullying comportamento Liberalismo ou descaso?

Quem não conhece pais excessivamente liberais, que “deixam tudo” ? Não é incomum ver esses pais distraídos conversando e rindo entre adultos enquanto seus filhos “tocam o terror” na pracinha, no shopping, em restaurantes. Apesar do olhar atravessado de outros adultos, visivelmente incomodados pela bagunça que as crianças estão aprontando, os pais dos “pestinhas” parecem nem perceber o que se passa e, pior, não tomam nenhuma atitude para conter seus filhos.

Quando falamos de adolescentes, pais que “não estão nem aí” também não são raros. Deixam o filho fazer tudo o que ele pede, não checam onde os mesmos estão e, muitas vezes, nem sabem com quem os filhos saíram. Essa atitude aparentemente “liberal” e despreocupada do “laissez-faire“, ao invés de significar que o pai é “moderno” e “descolado”, denota, muitas vezes, descaso. É uma versão mais leve e disfarçada do abandono, é um comodismo travestido de “flexibilidade”.

É muito mais fácil dizer que não é “encucado” ou “neurótico”, que “a gente cria os filhos para o mundo” e que “o que tiver que acontecer vai acontecer” do que realmente se inteirar da vida dos filhos, prestar atenção ao seu comportamento, conhecer os seus amigos e saber por onde ele anda.

Exigir satisfações dos filhos, como telefonemas por exemplo, e dizer “não” mesmo quando “todos os outros pais deixaram” pode ser difícil e antipático. Mas uma das características que nos distingue de nossos filhos é que, pela própria idade, estamos cansados de saber que pessoas más existem sim e que coisas ruins acontecem sim com qualquer um, mesmo com quem “não merece”. Crianças e adolescentes podem não acreditar neste fato ou podem se julgar espertos o suficiente para não serem vítimas, mas nós não temos o direito a essa ingenuidade. E é nosso dever proteger nossos filhos, até que eles tenham idade suficiente para se protegerem sem a nossa ajuda. Ignorar este fato e não se dar o trabalho extra de zelar pela segurança da prole pode expôr nossos filhos a sérios riscos.

Como disse Thomas Jefferson, “o preço da liberdade é a eterna vigilância.”

Leia também: 9 passos para impôr limites

Artigos Relacionados:

Juliana Garbayo

facebooktwitterlinkedin

Graduada em Medicina na Universidade Federal Fluminense (UFF). Cursou Residência Médica em Psiquiatria na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ-IPUB)


Postado em por Juliana Garbayo em Dicas

2 Respostas para Liberalismo ou descaso?

  1. Rosa Andrade

    Dra Juliana, excelente texto, importante para reflexão de pais e de educadores também! Muitos dos meus alunos do pré-vestibular, momento de amadurecimento “forçado”, insegurança na escolha da profissão, relatam que seus pais ou responsáveis os deixaram tão livres, mas agora exigem que os filhos escolham determinadas profissões, inclusive “cobram” atitudes responsáveis. Forte abraço,
    Rosa Andrade
    Bióloga – Coordenadora do Sistema Universitário de Ensino Pré-vestibular – São Paulo.

  2. Juliana Garbayo

    Que legal, Rosa! Obrigada por compartilhar sua experiencia como professora! Bj!

Adicione um comentário

Se você deseja ajuda, por favor entre em contato conosco, consultório de Psiquiatria RJ:

Dra. Juliana Garbayo Psiquiatra RJ - Telefone: (21) 99780-4339 Copacabana - Rio de Janeiro
Desenvolvido por WebProfissional