Orientação Vocacional: Quem eu quero ser?

quem eu quero ser profissionais Orientação Vocacional: Quem eu quero ser?

A carreira é uma parte essencial da nossa vida, que vai tomar grande parte do nosso tempo e influenciar no nosso círculo de amizades e interesses – em certa medida, podemos até dizer que a nossa carreira vai ajudar a definir quem somos.

Por isso, para acertar na escolha, é preciso refletir sobre vários aspectos da sua vida: como você interage com as pessoas? Que tipo de amigos quer ter? Sobre o que gosta de conversar? Como você é e como tem se relacionado com a vida até hoje? Onde quer chegar? Faz questão de ter muito tempo livre? Quer ganhar muito dinheiro e ser muito rico, mesmo que tenha que sacrificar suas horas vagas para isso? Quer ter a possibilidade de se mudar para qualquer lugar ou já sabe que vai ficar na cidade em que mora por muitos anos?Quais são seus valores? E suas habilidades? O que você faz muito bem? E em que tem dificuldade?

Refletir sobre quem você tem sido e quem é no momento vai ajudar a decidir como você quer ser no futuro. Tente responder às perguntas: “quem eu sou e quem eu desejo ser?”

EM UM PAPEL (escrever as idéias sempre ajuda), RESPONDA PARA SI MESMO:

“O que eu espero da minha futura profissão?”

Ganhar bem? Ficar famoso? Fazer o que gosta mesmo que ganhe pouco com isso? Viajar o mundo?

Quem não sabe pra onde quer ir não chega a lugar nenhum. Escreva o que lhe motiva e veja quais carreiras mais se relacionam com suas características.

trabalhando em equipe Orientação Vocacional: Quem eu quero ser?

INFORME-SE:

- Visite bancas de jornais e livrarias procurando publicações sobre profissões. Exemplos de publicações: “Guia de Profissões – Vestibular”, da editora Abril; “Almanaque do Estudante” da Editora On-line.

- Internet: Pesquise sobre as profissões na internet, você encontrará farto material de pesquisa. Os guias de profissões disponibilizados nos sites, geralmente, contém informações mais resumidas. Pesquise sites de universidades, associações de classe e da CBO, a Classificação Brasileira de Ocupações.

- Ida a campo: Se você está escolhendo um curso técnico ou universitário, além de escolher o curso que vai fazer, você também vai precisar pesquisar qual instituição de ensino melhor atende aos seus interesses. Para isso, nada melhor do que visitar suas instalações e observar: as salas de aula, a biblioteca, os laboratórios, o atendimento na secretaria, o nível de satisfação dos alunos, o clima de um modo geral. Converse com alunos e com professores, peça para assistir uma aula e aproveite ao máximo sua visita!

Antes de ir pessoalmente, você pode fazer visitas virtuais acessando os sites das universidades que oferecem seu curso, levantando informações prévias e preparando-se para a visita propriamente dita.

- Conversando com profissionais da área: É muito importante que você converse com pessoas que atuam em suas áreas de interesse. Quanto mais você conversar sobre as profissões, melhor você poderá internalizar as informações obtidas em suas pesquisas, bem como esclarecer aspectos que só alguém que vivencia a realidade daquela profissão poderá lhe transmitir.

Procure profissionais que atuem em suas áreas de interesse e combine uma entrevista.

Estes profissionais podem ser amigos ou conhecidos de seus familiares ou dos pais de seus próprios amigos. Pergunte às pessoas próximas a você se conhecem alguém que possam indicar para efetuar um contato. Você também pode procurar professores das universidades para realizar suas entrevistas. Além de dar aulas, os professores também devem estar disponíveis para receber alunos em horários determinados – você não terá dificuldade em encontrar alguém disposto a receber você.

homem e mulher trabalhando Orientação Vocacional: Quem eu quero ser?

PENSE NO MÁXIMO POSSÍVEL DE POSSIBILIDADES

Pense nas profissões ou ocupações que lhe vêm à cabeça como possíveis escolhas em seu projeto profissional e liste TODAS elas, quanto mais melhor.

A seguir, escreva todas as vantagens e desvantagens que te ocorrerem para cada uma delas.

Continua muito perdido após estas dicas? Considere conversar com um psiquiatra, que poderá ajudá-lo a refletir sobre sua personalidade, suas inclinações, dificuldades e motivações.

E, se você já tem uma profissão definida ou já está cursando algo e está arrependido ou se sentindo “perdido” na carreira que escolheu, lembre-se: sempre é tempo de mudar o que não nos faz feliz! Nunca é tarde para recomeçar, seu maior compromisso é com sua própria felicidade! Não tenha medo ou vergonha de reavaliar suas escolhas e mudar sua vida.

Boa sorte!

Testes Vocacionais

Profissões

Artigos Relacionados:

Juliana Garbayo

facebooktwitterlinkedin

Graduada em Medicina na Universidade Federal Fluminense (UFF). Cursou Residência Médica em Psiquiatria na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ-IPUB)


Postado em por Juliana Garbayo em Dicas

2 Respostas para Orientação Vocacional: Quem eu quero ser?

  1. Homero Reis

    Excelente post!
    A melhor forma de se descobrir é fazer perguntas a si mesmo, afinal não há como mentir para si com perguntas feitas internamente. Isso vale (com grande peso) para a decisão de qual carreira seguir, porque a profissão escolhida será levada por toda a vida e deve ser determinada com base naquilo que o indivíduo realmente quer para si, além, é claro, de basear-se no que ele tem capacidade de realizar com dedicação por todos os anos seguintes. Parabéns pelo post!

  2. Juliana Garbayo

    Homero, muito obrigada!

Adicione um comentário

Se você deseja ajuda, por favor entre em contato conosco, consultório de Psiquiatria RJ:

Dra. Juliana Garbayo Psiquiatra RJ - Telefone: (21) 99780-4339 Copacabana - Rio de Janeiro
Desenvolvido por WebProfissional