Transtorno de estresse pós-traumático

estresse pos traumatico Transtorno de estresse pós traumático

Estresse pós-traumático

Este transtorno constitui uma resposta psicológica a uma situação estressante da qual a pessoa tenha sido vítima, como um assalto violento, um estupro, uma agressão física, a perda traumática de alguém muito querido.

O Transtorno de estrese pós-traumático (TEPT) se caracteriza pelo desenvolvimento, após um trauma, de um fenômeno no qual a experiência traumática é relembrada e revivida como se estivesse acontecendo outra vez. Essa revivescência repetida pode ter a forma de lembranças invasivas (“flashbacks”), sonhos ou pesadelos.

A vítima desenvolve um comportamento evitativo que, a princípio, tem como objetivo evitar toda e qualquer memória do trauma, mas, com o tempo pode se espalhar para outras áreas, levando à evitação até de pessoas e atividades não associadas ao evento.

Muitos passam a viver em um estado constante de alerta e a apresentar insônia, ansiedade, depressão ou ideação suicida. Um estado de hiperexcitabilidade também é comum: a pessoa vive sobressaltada, como se estivesse “com os nervos à flor da pele”. Nâo consegue relaxar e dormir pode virar uma luta, especialmente quando a situação traumática também passa a ser revivida em pesadelos. 

Por outro lado, outras pessoas fazem um quadro diferente: podem parecer “anestesiadas” e se tornar insensíveis ou alheias ao ambiente, além de perder o gosto pelas atividades que antes tinham prazer em fazer.

O período que separa a ocorrência do trauma do transtorno pode variar de algumas semanas a alguns meses.

Cerca de 6% das pessoas desenvolve este transtorno uma vez na vida, mas isso na população como um todo. Quando se examina grupos de pessoas com outros problemas psiquiátricos, como abuso de álcool e drogas, encontramos uma frequência três vezes maior de TEPT do que o que é visto na população geral.  Entre aqueles que estão buscando tratamento para o abuso de substâncias, 36-50% já teve TEPT em algum momento de suas vidas e 25-40% ainda tem sintomas compatíveis com o transtorno*. Além de estarem sob maior risco de abuso e dependência de substâncias,pessoas que sofrem de TEPT também tendem a assumir comportamento sexual de risco mais frequentemente do que aqueles sem o problema.

Resumindo: além de ser um problema em si, que traz muito sofrimento a quem o tem, o TEPT ainda predispõe a pessoa a outros transtornos psiquiátricos! Felizmente, o TEPT tem tratamento que, em geral, envolve a combinação de medicamentos com psicoterapia.

* Tull, M. et al.  THE EFFECT OF POSTTRAUMATIC STRESS DISORDER ON RISK-TAKING PROPENSITY AMONG CRACK/ COCAINE USERS IN RESIDENTIAL SUBSTANCE ABUSE TREATMENT.  DEPRESSION AND ANXIETY 26 : 1158–1164 (2009)

Artigos Relacionados:

Juliana Garbayo

facebooktwitterlinkedin

Graduada em Medicina na Universidade Federal Fluminense (UFF). Cursou Residência Médica em Psiquiatria na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ-IPUB)


Postado em por Juliana Garbayo em Dicionário

Adicione um comentário

Se você deseja ajuda, por favor entre em contato conosco, consultório de Psiquiatria RJ:

Dra. Juliana Garbayo Psiquiatra RJ - Telefone: (21) 99780-4339 Copacabana - Rio de Janeiro
Desenvolvido por WebProfissional